quinta-feira, 14 de junho de 2012

TRABALHADORES DEBATEM O RUMO DO MOVIMENTO SINDICAL EM ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA ORGANIZADA PELA CNTA!


A proposta orçamentária da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA) para o próximo ano foi aprovada por unanimidade nesta quarta (13/6) durante Assembleia Geral Ordinária realizada no Radisson Hotel, em Maceió (AL).  A entidade também prestou contas dos exercícios referentes a 2011 e comemorou novas filiações. O encontro foi estendido até esta quinta e contou com a participação de Gerardo Iglessias, secretário-geral da União Internacional dos Trabalhadores da Alimentação e Agricultura (Uita). Aproximadamente cem pessoas, entre dirigentes, delegados natos, integrantes do conselho fiscal efetivo e da diretoria efetiva da CNTA, marcaram presença. Homenagens e deliberações políticas de interesse da categoria foram os destaques do encontro, com direito a apresentação cultural local oferecida por Jackson de Lima Neto, presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Alagoas e Sergipe.

Sobre os investimentos da CNTA em torno da defesa dos direitos dos trabalhadores da categoria da alimentação, o presidente Artur Bueno, comentou a importância da prestação de assistência técnica e jurídica constante às entidades filiadas como a contratação da engenheira de Segurança do Trabalho Maria Elidia Vicente, responsável pela assessoria dos trabalhadores no Grupo Técnico Tripartite na elaboração da Norma Regulamentadora (NR) do setor de frigoríficos. Na ocasião, Carlúcio Gomes da Rocha, representante da bancada dos trabalhadores na NR, afirmou que o investimento foi essencial para garantir os avanços das negociações. “Nós temos provas que para melhorar a saúde do trabalhador é necessário ter 10 minutos de descanso a cada 50 minutos trabalhados, por exemplo”,  disse.

Organização sindical

A dificuldade enfrentada pelas entidades em torno da manutenção da contribuição sindical e a ameaça da unicidade na representação das categorias da alimentação também foram abordadas na assembleia.  O vice-presidente da CNTA, Melquíades Araújo, também representante da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado de São Paulo, afirmou que a alta rotatividade no setor traz prejuízos para a organização sindical e defendeu a criação da categoria dos sócios natos, com a inclusão dos trabalhadores não associados nas entidades representativas, com poder de votação nas assembleiasinclusive, nas eleições da diretoria do sindicato. “Os sócios ativistas são os que pagam e acompanham o sindicato há algum tempo. A categoria dos sócios natos são os que são naturalmente sócios por estarem na categoria. É legal? Não é legal? Mas há tanta coisa legal que nos transformam ilegais. Já estão acabando até com a contribuição sindical por não acharem legal e já há processos nesse sentido. Se a lei emana do povo, esse é o desejo do povo. Nenhum trabalhador reclamou até hoje por ter o direito de votar na diretoria do sindicato ou participar de assembleia”, pondera o líder sindical, homenageado durante o evento pela participação ativa e incentivadora ao longo das lutas dos trabalhadores.

A CNTA, por sua vez, avaliou positivamente as sugestões e citou o próprio estatuto como exemplo ao ampliar também a participação dos sindicatos na filiação da entidade. “Nós também estamos ilegais. E é ilegal? É ilegal, mas acho que politicamente é moral e é uma forma de ampliar mais a discussão e estar mais perto dos problemas dos trabalhadores nas bases”, afirma Artur Bueno, que defendeu a valorização das entidades sindicais e seus representantes.

O acompanhamento das atividades parlamentares e atuações do Ministério Público do Trabalho foram outras reivindicações levantadas pelos convocados durante o encaminhamento ao final da assembleia, que também contou com propostas em torno do fortalecimento das centrais sindicais, aproximação e participação no Conselho Nacional de Justiça, e a unificação das datas base, dentre as outras considerações abordadas anteriormente no 5º Congresso Nacional da CNTA, realizado no ano passado.


UITA

Para Gerardo Iglessias, secretário-geral da União Internacional dos Trabalhadores da Alimentação e Agricultura (Uita), a participação efetiva da CNTA com a entidade internacional, inclusive no último Congresso Mundial da Uita realizado em maio desse ano, tem contribuído para a evolução do setor, principalmente, na América Latina.   Mas é preciso mais envolvimento dos filiados  no sentido de denunciar irregularidades, além de investir na modernização da comunicação, como a criação de páginas virtuais. A exemplo desta necessidade, a CNTA mais uma vez é elogiada por investir recentemente em assessoria de imprensa para ampliar a visibilidade da categoria e estabelecer novas formas de comunicação na entidade, com postagens simultâneas no facebook durante os eventos realizados, com o acompanhamento de mais de 65 contatos adicionados que participavam a distancia da assembleia.

“Falando do plano internacional, quero dizer que fico feliz porque nós agora estamos melhorando muito a comunicação. Por enquanto, vários sindicatos do Estado de são Paulo quando tem um conflito marca um encontro comigo, ou mandam fotografias. Isso está funcionamento muito bem. Nós temos uma ferramenta de trabalho de pressão sindical de 64 sindicatos da Coca-Cola, por exemplo, em 14 países da América Latina.”, afirma.

No entanto, Gerardo fez um alerta sobre as práticas antissindicais existentes no Brasil e propôs um encontro com as principais lideranças internacionais para trocar informações, opiniões e experiências em torno dos modelos sindicais existentes visando promover a cooperação política internacional e o desenvolvimento dos direitos dos trabalhadores. 

“O movimento sindical está para paralisar nesse país (Brasil). Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a sindicalização tem baixado e não ultrapassa os 15% do total dos trabalhadores e das trabalhadoras. Quais são os problemas? Muitos. Mas um deles é o forte antissindicalismo. As condições de trabalho nos frigoríficos, na cana de açúcar, na nossa indústria, são feudais. Essa é uma historia que temos que mudar”, incentiva.

Novas filiações

Durante a Assembleia Geral, foram aprovadas as filiações de oito entidades: Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Panificação e Confeitaria de Crato, Barbalha e Juazeiro do Norte do Estado do Ceará (CE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Massas Alimentícias e Biscoitos de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha do Estado do Ceará (CE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Panificação, Confeitaria, Massas Alimentícias no Município de Sobral no Estado do Ceará (CE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Município de Aracati (CE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Açúcar, de Doces e Conservas Alimentícias e da Refinação de Sal do Município do Rio de Janeiro (RJ); Sindicato dos Trabalhadores na Avicultura no Estado do Ceará (CE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fabricação de Óleos Vegetais, Margarinas, Gordura Vegetar, Moagens de Milho, Trigo, Massas Alimentícias e Biscoitos no Estado de Pernambuco (PE); Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Rações Balanceadas para Animais nas Indústrias de Abate de Aves e de Industrialização de Carnes de Aves e Avícolas do Estado de Pernambuco (PE).


Fonte: Clarice Gulyas  - Assessora de imprensa CNTA!

Um comentário: